Imposto de Renda em ações: Como calcular?

    IR

    O Imposto de Renda em ações é um imposto cobrado pela Receita Federal dos investidores da Bolsa de Valores. Já ouviu falar na mordida do leão? Pois é...esse é o pedacinho que vai para o governo sobre seus ganhos.

    Você pode estar pensando: nossa, qual a vantagem de pagar imposto de renda??? Bem, se você tem imposto à pagar, significa que está tendo lucros também! Pois é, só tem imposto à pagar, quem está lucrando!

    Quer saber tudo sobre o Imposto de Renda cobrado pelo lucro das suas vendas de ações? Então lê esse artigo até o final que vamos te explicar como funciona =)

    O que é Imposto de Renda em ações?

    Imposto de Renda para investidor, cobrado sobre o lucro de venda de ações, na prática é o pagamento de imposto à Receita Federal. A tributação, tem como principal finalidade, "transferir" ao Estado parte daquilo que você lucra, para contribuir com as despesas do país. 

    Essa lógica é a mesma para os investidores de Bolsa de Valores. Se você investe em ações, lucra com suas vendas e, ao final dos cálculos, tem lucro tributável, você passa à estar obrigado a contribuir para o leão, agora vai precisar domá-lo! Mas fica tranquilo que vamos te ajudar nesse processo!

    Mas calma, pagar impostos não é a pior coisa do mundo, afinal quem investe e não está pagando, ou está fazendo errado e isso pode colocá-lo em malha fina, ou ele está tendo prejuízos, então comemore, está ganhando dinheiro!

    A importância da comemoração - Insights and Thoughts

    Para deixar simples o pagamento, a Receita Federal criou a guia DARF, ela é um boleto de recolhimento do imposto para o leão! É através dele que você informa tudo que for necessário e contribui com seu Imposto de Renda. 

    Complexo não? Imagino que esse assunto assusta mesmo! Por isso aqui na LionTech nós cuidamos de tudo isso para você investidor, você não precisa se preocupar com todos os detalhes de calcular seu imposto mensalmente, em nossa plataforma com poucos cliques e está tudo feito! Clique aqui e faça um teste gratuito.

    Por que calcular imposto de renda na Bolsa de Valores?

    Imposto de Renda na Bolsa deve ser calculado porque, além de ser uma obrigação tributária, é uma excelente maneira de administrar seus investimentos, afinal, para chegar nos seus resultados e saber se está lucrando, você deve fazer seus cálculos mensalmente.

    Se você não calcular suas movimentações, como vai traçar novas estratégias para lucrar com suas ações? 

    Além disso, se você não faz seus cálculos mensalmente, corre o risco de:

    • pagar DARFs em atraso e, consequentemente, com multa e juros;
    • não compensar seus prejuízos e rasgar dinheiro;
    • não ter tudo pronto na hora de entregar a Declaração Anual, se atrasar e ser abocanhado pelo leão. 

    Já pensou? Mas você não precisa ter essa dor de cabeça, deixa com a gente que cuidamos disso pra você.

    Cálculo de IR: como fazer?

    Apesar de detalhado, o cálculo de Imposto de Renda não tem nada de difícil. E pra melhorar, eu estou aqui para te ajudar:

    1. Se comprou ativos de bolsa, é só somar todas as taxas das suas notas de corretagem ao custo das ações para chegar no custo de aquisição;
    1. Comprou mais ativos? É a mesmo? Então basta achar o custo de aquisição pela média ponderada. Se tiver mais de um título na nota, rateia as taxas proporcionalmente;
    1. Se vendeu, abate as taxas das suas notas de corretagem para chegar no resultado líquido da venda de ações;
    1. Tudo pronto? Então bora encontrar o resultado do mês: abate a venda líquida do custo de aquisição das compras para chegar no resultado total do mês;
    1. Encontrou? Boa! Falta só analisar o resultado!

    Analisando o resultado:

    O resultado do mês foi prejuízo? Então anota para compensar nos lucros futuros. Nesse caso não tem IR para pagar.

    Foi lucro isento? Ou seja, seu total de vendas no mês foi inferior a 20k? Então só o lucro de ações, swing trade, na ordem comprou/vendeu é isento de IR.

    Lucro tributável? Abateu todos os prejuízos do mês corrente e os acumulados de meses anteriores e, ainda assim, ficou com resultado positivo?  Pode estourar o champagne e passar para o próximo passo:

    1. Alíquota! Tudo pronto para aplicar a alíquota de I.R. para cada tipo de operação: 15% para swing, 20% para day trade e 20% para FIIs.

    Por fim, desconta o IRRF acumulado e se jogar de cabeça no seu troféu de investidor, a DARF!

    IMPORTANTE: não importa se é lucro tributável, lucro isento ou prejuízo, todos os resultados devem ser informados na Declaração Anual.

    É uma rotina que pode parecer cansativa, mas para você investidor é crucial executá-la para não ter problemas com o leão. Não quer gastar tempo com isso? Podemos te ajudar, é só chamar que te damos uma mãozinha para domar o leão! Clique aqui e saiba mais!

    Até o próximo artigo!

    Bóra domar o leão!